Pesquise no Blog

September 24, 2009

10 motivos para não participar da Marcha para Jesus



Na última quinta-feira, dia 03/09, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou o projeto de lei que institui o Dia Nacional da Marcha para Jesus. Além da presença de Michel Temer, da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff e do senador e bispo da Igreja Universal, Marcelo Crivella, estavam presentes no evento os bispos Estevam e Sônia Hernandes, da Igreja Renascer em Cristo. O casal voltou ao Brasil no começo de agosto, depois de um período de dois anos e seis meses de prisão e liberdade condicional nos Estados Unidos. Eles foram condenados após tentar entrar no país com US$ 56 mil não declarados.

Antes de considerar o despropósito desta marcha, é preciso registrar a vergonha que temos ao ver o povo evangélico representado por um bispo da Igreja Universal do Reino de Deus e pelo casal Hernandes.

Entrando agora no mérito desta Marcha, alisto abaixo 10 motivos pelos quais nenhum cristão deveria participar desta marcha:

1. A igreja e a marcha são lideradas por um homem que se autodenomina apóstolo. Este é um erro cada vez mais freqüente em algumas denominações neo-pentecostais de nosso país. É sabido que o título “apóstolo” foi reservado àquele primeiro grupo de homens escolhidos por Cristo. Após a traição e suicídio de Judas, os apóstolos escolheram outro para ocupar o seu lugar (At 1.15-20), mas, como foi feita esta escolha? Que critérios foram usados? Ei-los: 1º) Ter sido discípulo de Jesus durante o seu ministério terreno; 2º) Ter sido testemunha ocular do Cristo ressurreto. Como pode alguém, hoje, ousar sustentar o título de apóstolo?

2. A igreja que organiza a marcha ensina Teologia da Prosperidade (crença de que o cristão deve ser próspero financeiramente), Confissão Positiva (crença no poder profético das palavras – assim como Deus falou e tudo foi criado, eu também falo e tudo acontece), Quebra de maldições (convicção de que podem existir maldições, mesmo na vida dos já salvos por Cristo) e Espíritos Territoriais (crença em espíritos malignos que governam sob determinadas áreas de uma cidade).

3. A filosofia da marcha está fundamentada em uma Teologia Triunfalista (tudo sempre vai dar certo, não existem problemas na vida do crente), tendo como base textos como Êxodo 14 (passagem de Israel no mar Vermelho) e Josué 6 (destruição de Jericó);

4. Uma das finalidades da marcha é promover curas e libertações;

5. A marcha não celebra culto, e sim show gospel;

6. Os líderes do movimento propagam que a marcha tem o poder de "mudar o destino de uma nação";

7. Na visão do grupo, com base em Josué 1.3 "Todo lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo tenho dado", a marcha é uma reivindicação do lugar por onde passam na cidade;

8. Na visão do grupo, a marcha serve para tapar as "brechas deixadas pelos atos ímpios de nossa nação";

9. Na visão do grupo, a marcha destrói "fortalezas erguidas pelos inimigo em certas áreas em nossas cidades e regiões";

10. A marcha tem caráter isolacionista, próprio de gueto, e não o que Cristo nos ensinou, a saber, envolvimento amplo na sociedade (Mt 5.13-16), com irrepreensível testemunho cristão (1Pe 2.12).

Ademais, é importante observar que toda a organização da marcha está centrada nas mãos de uma igreja apenas, excluindo-se o alegado caráter de união entre os evangélicos.

Tanta força e entusiasmo deveriam ser canalizados para a pregação do Evangelho a esta nação cada vez mais sedenta. As pesquisas indicam que os evangélicos já somam 15% da população brasileira, no entanto, a imoralidade, a corrupção e a violência são cada vez maiores em nosso país. Os canais de TV, os programas de rádio, bem como as marchas, não têm gerado transformação de vida em nosso povo.

A marcha que Cristo ensinou à sua igreja foi outra, silenciosa e efetiva, tal qual o sal penetrando no alimento (Mt 5.13); pessoal e de relacionamento, como na igreja primitiva (At 8.4); cotidiana e sem cessar, como entre os primeiros convertidos (At 2.42-47).

Que Deus nos restaure esta visão.

16 comments:

PC@maral said...

Glorias a Deus pelo artigo!

Assino em baixo em todas as suas palavras Rv Ageu!

Compartilho totalmente com a sua posição.

Que Deus continue lhe abençoando e lhe dando inspiração "que vem do alto" para denunciar esses absurdos que fazem em nome de Deus e para enganar, abertamente o seu povo.

Hermes C. Fernandes said...

Parabéns pelo belo trabalho no blog. Já estou seguindo!

Aproveito para lhe convidar a conhecer o meu blog, e se desejar segui-lo, será uma honra.

Seus comentários também serão muito bem-vindos.

Te espero lá!

www.hermesfernandes.blogspot.com

Armando Marcos said...

Olá pastor ague. coloquie esse artigo seu em meu blog, vai sair dia 1 de outubro
Pela intenmção, parece que essa marcha vai sair 60 dias depois da pascoa rumo a Constatinopla...
abraços
Armando

José Ailton said...

Abençoada seja em Jesus, a mão que escreveu este texto. Estou montando um material (manifesto contra a vergonhosa marcha para Jesus) Irei usar seu texto. Caso tenha algo contra, retirarei imediatamente. Para isso, deixo meus contatos:

www.pensarcomliberdade.blogspot.com

joseailtondecarvalho@hotmail.com


Paz seja contigo

José Ailton

José Ailton said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Rev. Ageu Magalhães said...

Caro irmão José Ailton, fique à vontade para usar o texto. Um forte abraço, Ageu.

Anonymous said...

O irmão me perdoe.
De fato alguns argumetnos são muito válidos. Porém, nem todos. Alguns são muito fracos.
E são esses que os impios gostam muito. De ver a falta de comunhão entre os cristãos. Há diferenças? Sim. Compreendo perfeitamente. Mas não tenho certeza se a atitude "isolacionista" de nossa parte seria a solução. De fato precisamos fazer algo quanto a essa má representatividade. Urgentemente!
Deus nos abençõe e nos de sabedoria.
Graça e Paz!

Rev. Ageu Magalhães said...

Caro anônimo, argumentos fracos se respondem com argumentos fortes. Fico no aguardo.

Anonymous said...

Concordo que a Marcha para Jesus só ajude a criar um grupo separado de crentes, não ajuda muito na integração com a sociedade. Também concordo que a teologia dos líderes dessa marcha não esteja correta em vários pontos.
Mas, será que essa também não é um chance de duas coisas acontecerem 1) pessoas de dentro da igreja serem inspiradas ao ver tantas pessoas apaixonadas por Jesus e dispostas a mostrar isso 2) pessoas de fora da igreja verem como o cristianismo esta forte e ativo no brasil.
Infelizmente a igreja presbiteriana nunca será capaz de colocar um evento desse na rua, então acho que temos que trabalhar com o que esta em a mão, nesse caso é a Marcha.
Concordo que existem muitas barreiras e diferenças mas tendo uma coisa tão influente e grande ao nosso dispor não seria melhor tentar trabalhar com ela, quem sabe até fazer algumas mudanças se possivel ou pelo menos tentar, do que simplesmente abandonar todo o movimento?
O que acha?

Rev. Ageu Magalhães said...

Caro irmão anônimo, não creio que a marcha sirva de inspiração a todos os crentes. Para muitos, certamente o é. Porém, tenho encontrado muita gente fiel a Deus que também a acha um despropósito. Para mim, e para estes irmãos, a marcha é mais um oba-oba, uma festa, uma chance de muita gente que não dá testemunho no dia a dia achar que está fazendo algo pelo Evangelho. E é muito fácil sair na rua com a bandeira de Jesus rodeado de centenas de pessoas. Gostaria de vê-los, individualmente, com suas bíblias nas mãos, pregando nas ruas. Aí sim eu daria valor. Além, disso, ainda sobre inspiração, o apóstolo Pedro deu aos cristãos da Asia um outro motivo para que ficassem inspirados: "O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar; resisti-lhe firmes na fé, certos de que sofrimentos iguais aos vossos estão-se cumprindo na vossa irmandade espalhada pelo mundo." (1Pe 5.8,9). De fato, uma multidão, uma vez por ano, parando a cidade com uma marcha teologicamente equivocada não me inspira em nada, mas saber que, neste momento, há crentes fiéis, espalhados pelo mundo todo, dando a própria vida pelo Evangelho, anunciando o nome de Cristo com intrepidez, isto me inspira. Sobre o segundo ponto, a alegada demonstração de força do Cristianismo, por meio da marcha, também lhe digo, meu caro irmão, que é uma ilusão. O mundo deve estar falando para nós "seus atos falam tão alto que não consigo ouvir suas palavras". O que dizer do líder desta marcha, e de sua esposa, sendo presos por evasão de divisas? Que tipo de exemplo é este que líderes do povo de Deus estão dando? Que mensagem estão passando aos incrédulos? Cito novamente a Palavra: "Disse Jesus a seus discípulos: É inevitável que venham escândalos, mas ai do homem pelo qual eles vêm! Melhor fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma pedra de moinho, e fosse atirado no mar, do que fazer tropeçar a um destes pequeninos."(Lc 17.1,2). Se o casal citado tivesse um mínimo de fidelidade à Deus teria voltado ao Brasil, pedido desculpas em público a todos os evangélicos e anunciado a saída de ambos do ministério sagrado. Voltando ao ponto, se os evangélicos querem mostrar algum tipo de força ao mundo, que o façam seguindo o que Cristo mandou e não o que está na moda (marchas). E o que Cristo mandou: "Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus." (Mt 5.13-16) Se cada evangélico fosse sal e luz, se cada evangélico fizesse a sua luz brilhar ao seu redor, por meio de uma vida de consagração e obediência a Deus, aí sim o mundo veria nossa força. O mundo viu a força do Evangelho quando homens e mulheres resolveram morrer nas arenas de Roma ao invés de chamar César de Senhor. O mundo também viu a força do Evangelho quando homens e mulheres deram seu sangue na Reforma Protestante. Isso sim é demonstração de força. Agora, sair em uma marcha, dançando e pulando... Isso é insultar a memória dos mártires do Cristianismo. Que Deus o abençoe, irmão, e que lhe mostre que nosso país não tem progredido espiritualmente justamente porque os crentes não têm salgado a sociedade. E enquanto continuarem com paleativos mobilizadores, não mudarão a situação. Voltemos à Palavra de Deus, urgentemente. Abraço.

Fabiana said...

Meu Deus..... eis aí o juiz Ageu Magalhães... q sonda e conhece os corações....

Marcelo Gomes, Ministro do Deus Altissímo said...

É lamentável que a cultura do "oba oba" evengélico esteja permeando a nossa igreja.
Rev. Ageu não é o juiz que sonda e conhece os nossos corações, Ele chama-Se JESUS!
O mesmo que intituiu as Palavras de Juízo que CONDENAM este tipo de manifestação que não tem intuito nenhum de salvar as almas, e sim de promover a carnalidade entre os "crentes"

"Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;" (II Timóteo 4 : 3)

xandy said...

Amado, considerei os motivos para não marchar, mas dizer o que a bíblia na diz, aí, é demais pra mimj.. Efesios 4:11 em diante fala sobre o ministério apóstolico, ou Dom de Apóstolo, negar isso é rasgar a bíblia, não confuinda alhos com bugalhos...tenho dito.. e espero que responda se for crente da bíblia.

Rev. Ageu Magalhães said...

Caro irmão Xandy, Efésios 4.11 diz o seguinte: "E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo". Os termos não são sinônimos, são distintos. Desta forma, profetas atuando no Antigo Testamento, apóstolos, os 12 e depois Paulo, no Novo Testamento, evangelistas, pastores/mestres já no período do Novo Testamento e até os nossos dias. Os critérios bíblicos para alguém ser apóstolo foram bem estabelecidos e limitados pela igreja em Atos 1. Um abraço e que Deus o abençoe. Ageu

Rev. Ageu Magalhães said...

Caro Marcelo, obrigado pela visita. Deus o abençoe. Ageu

Victor said...

Deus tenha misericórdia, pois este povo perece por falta de entendimento. Tomara esse povo que se diz evangélico ao invés de gastar a sola do sapato pulando pelas ruas num movimento apático e sem propósito, gastasse seu tempo lendo, orando e pregando a boa Palavra de Cristo Jesus, nosso Senhor: "Arrependei-vos e crede no evangelho". Marcha é um verdadeiro "oba-oba".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails