Pesquise no Blog

April 8, 2010

A Turma da Mônica e Caio, o personagem Gay




O título deste post quase foi "Adeus à inocência". A 6ª edição da revista "Tina", da Turma da Mônica, grupo de personagens de história em quadrinhos criado por Maurício de Sousa em 1959, mostra ao público seu primeiro personagem gay. Na história, Caio é o melhor amigo de Tina e deixa a todos surpresos quando se diz comprometido apontando para outro rapaz, com camiseta quase igual a sua. Na história, o homossexualismo não é declarado explicitamente, mas fica no ar. É lamentável que as histórias, no passado tão inocentes e que fizeram a alegria de uma geração de crianças, agora passem por esta transformação, refletindo o comportamento pecaminoso da sociedade e expondo precocemente o tema às nossas crianças. Veja um trecho maior da história:




Além desta abertura ao homossexualismo, nota-se também a presença de sensualidade nas histórias infantis. Veja abaixo um trecho também da personagem Tina:




Vivemos em dias difíceis. Pais e educadores cristãos devem atentar para a corrupção de nossa época e criar as crianças na "disciplina e na admoestação do Senhor" (Ef 6.4). Como escreveu o apóstolo Paulo, "as más conversações corrompem os bons costumes." (1Co 15.33). Eduquemos os pequeninos nos caminhos do Senhor, pois, só assim, eles poderão ficar seguros da péssima influência de nossa sociedade. E não nos esqueçamos: Pais de joelhos, filhos em pé!

10 comments:

Diego Cosmo said...

http://dcosmo.blogspot.com/ - Constantes reflexões, Rumo a novos pensamentos! "Cosmo a Pé"

Internautas Cristãos said...

Olá Ageu,

Parabéns pelo blog. Artigos bastante fiéis à Escritura.

Gostaria de trocar link com nosso site? Se tiver interesse, entre em contato conosco pelo email administrador@internautascristaos.com.br

Nosso site é reformado e calvinista.

Em Cristo,

Tiago Vieira
INTERNAUTAS CRISTÃOS
www.internautascristaos.com.br

Fernando Jordão said...

Caro Reverendo

Cada dia temos a sensualidade exposta aos nossos filhos ainda na tenra idade. Tenho uma filha de 3 anos e neste mês no McFeliz ela escolheu uma bonequinha, apesar de ser um brinquedo a boneca da um beijinho a acha graça, como se fazer os bonecos e bonecas se beijarem fosse somente uma brincadeira, pode até ser, mas será que é so isso? Vemos em desenhos e filmes "infantis" conotações que podem confundir a mente de nossas crianças. Temos como pais de estar atentos ao que nossos filhos e filhas vêem na televisão, cada vez mais doutrinadora de sensualidade e homosexualidade, nas revistas, nos gibis e na escola.
Temos que ter uma prática não muito nova, mas muito eficaz, cultos domésticos que deem base e conhecimentos as nossas crianças para identificar as coisas que de fato não são biblicas e não glorifica a Deus.

Deus nos abençoe e nos de Sabedoria

Rev. Ageu Magalhães said...

Caro Diego, obrigado pela visita. Abraço, Ageu

Rev. Ageu Magalhães said...

Caro Tiago Vieira, obrigado pela visita e comentário. Vou entrar em contato com vocês. Abraço, Ageu

Rev. Ageu Magalhães said...

Caro Fernando Jordão, concordo plenamente com a idéia de culto doméstico. Tenho dito a alguns pais que, nestes dias, nós temos que "blindar" nossos filhos contra as influências malignas de nossa sociedade. Forte abraço, Ageu

francisco said...

Lamentavel que que e isso, olhem so o que estao ensinando as nossas crianças

Rev. Ageu Magalhães said...

Caro Francisco, obrigado pela visita. Abraço, Ageu

Marcia said...

De tanto mal a nossa volta, enganos, sutilezas, imposições injustas e nocivas, muitas vezes nos cansamos da postura de simplesmente agir "contra", ou "eliminar", "matar", e outras ações no sentido contrário da primeira agressão. Precisamos descobrir um modo de agir, ser e pensar, em que possamos preencher os espaços de nossa vida com o bem, com criatividade, com tanta satisfação, que o mal se transforme em "resto desnecessário". Saber, sim! Mas gostaria de lutar de modo diferente, e menos cansativo.

GABRIEL said...

Cara, para de ser preconceituoso a maldade está nos olhos de quem vê e eu particularmente não vi nada demais... E o personagem caio está longe de influenciar alguém até porque se é ou não se é gay, ninguém escolhe isso, e achei a revista dele ótima ensina as crianças a não julgarem os outros pelas diferenças... O próprio Jesus disse pra não julgar ou será julgado, e essa revista não é direcionada ao publico infantil e sim ao adolescente.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails